RABISCOS POÉTICOS

AMAR É FÁCIL PARA QUEM TEM MEMÓRIA PORÉM, ESQUECER É DIFÍCIL PARA QUEM TEM CORAÇÃO.

Textos


VOO DA ESPERANÇA....


No ar mais uma nave metálica, cruza o espaço, com o seu barulho peculiar, estrondoso e contínuo num silvo comprido, me fazendo imaginar, o que, estará  se passando no seu interior...

A viagem é longa de Lisboa à São Paulo, são 9 horas, de vôo e também de uma reflexão forçada. Os passageiros acomodados em suas poltronas, alguns dormem outros estão tensos, não conseguem relaxar na viagem, com os seus semblantes sérios, o  olhar distante procuram na paisagem da janela repensarem  as  suas  vidas.

Indagando a si mesmos onde foi que erraram e o quê, deixaram de fazer? Quantas foram às vezes, que eles cruzaram aquele céu buscando chegar mais rápido ao seu destino. Quantas situações eles reviveram, quantos projetos deixaram sem começar, e quantos outros eles começaram e interromperam  antes que terminassem, dando prioridade as necessidades das suas famílias.
Muitas foram as partidas e chegadas, sem terem alguém a lhes esperarem no seu destino...Compromissos de trabalhos acumulados lhes faltaram tempo, para repensarem  as suas vidas.

Ah, como a vida passou depressa!

Trabalharam tanto que não sentiram o tempo passar, o casamento acabou os seus filhos cresceram estão adultos, emancipados,  dispensam deles uma maior assistência. Pais e filhos possuem idéias e ideais diferentes, conflitos de gerações,  os aborrecimentos 
afrouxam  os laços  familiares e tornam os pais  impotentes, diante das novas situações.  Nas próximas viagens os motivos das suas vindas estarão enfraquecidos, para sentissem úteis, em voltarem ao seu país de origem...

As turbulências da viagem deixam os passageiros mais vulneráveis, e assim, em cada nuvem que a nave atravessa, eles depositam sobre elas a ESPERANÇA e o AMOR que trazem guardadas no seu coração, pelos  seus filhos e pela sua pátria, que agora, poucas vezes, presenciarão o seu retorno.
No voo da Esperança eles traçaram uma nova rota no ar entre o seu novo domicílio e o pedaço de sí, que aqui eles deixaram...


_____________________________________
Essa crônica foi baseada, no relato e na mensagem  de texto que recebi de um amigo:

Que esteve de férias em São Paulo, por quatro meses  e naquela semana  retornando no domingo a Lisboa,  na quarta-feira seguinte me enviou uma mensagem de texto no celular, assim: 
 

- Veja  tamanha discrepância, minha filha resolveu      casasse e essa semana retorno ao Brasil,  para emancipá-la.
 
Pensando melhor, ele resolveu a emancipação da filha de outra forma, não retornando ao Brasil naquele vôo. 

Sabendo o horário do seu vôo, comecei a escrever essa crônica...
E,  somente  os meus pensamentos,  fizeram
aquela viagem. 

 
SanCardoso
Enviado por SanCardoso em 09/03/2008
Alterado em 03/05/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.sancardoso.prosaeverso.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras